top of page
  • paulojscalli

MENINGITE - Sinais e Sintomas

Febre, dor de cabeça, náuseas e vômitos são sintomas comuns em diversas doenças. Agora, você sabia que eles também indicam a presença de meningite viral? Sim. Esse tipo bem comum de meningite existe, não é tão grave quanto a bacteriana, mas não deve ser ignorado.


O que é meningite viral?


A meningite viral é caracterizada como uma inflamação das meninges (membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal) e é uma das formas mais comuns de manifestação da doença. Ela é causada por diversos tipos de vírus. Em 85% dos casos, os Enterovírus são os responsáveis.


O que causa a Meningite Viral?


Os vírus mais comuns na Meningite Viral são:

• Enterovírus – residem no sistema digestivo;

• HSV – vírus da Herpes simples, transmitido por meio de contato íntimo;

• Arbovírus – transmitidos pelo mosquito Aedes Aegypti;

• Arenavírus – transmitidos por camundongos, que depositam os vírus nas fezes;

• HIV – vírus da imunodeficiência humana, causador da AIDS;


Entre outros, como o vírus da Caxumba e o vírus Influenza.


Quais são os sintomas da Meningite Viral?


Os primeiros sintomas da meningite viral são:

• Febre;

• Dor de cabeça;

• Náuseas e vômitos;

• Falta de apetite;

• Sonolência;

• Fotofobia (sensibilidade à luz);

• Dor nas articulações;

• Rigidez no pescoço (também chamada rigidez de nuca).


Como diferenciar a meningite bacteriana da viral?

Apesar dos sintomas da meningite viral e da meningite bacteriana serem semelhantes, no primeiro caso, a evolução do quadro costuma ser mais leve e menos grave. A diferenciação vai da análise do quadro clínico geral e também, quando possível, da análise do líquor, que é feita pelo exame do líquido da medula – punção lombar.

Conforme comentado, a maioria das meningites virais são benignas e de boa evolução e com sintomas mais leves. Estas seriam as causadas pelo grupo dos enterovírus. Pode acontecer também meningites virais mais graves com convulsão, alteração de comportamento e até óbito, sendo a principal causa o vírus herpes.

Por isso, é recomendado sempre procurar um médico quando tiver os sintomas da meningite viral, para que um especialista determine qual é o seu tipo de meningite e qual tratamento é mais adequado.


Qual meningite é mais perigosa: viral ou bacteriana?

A meningite bacteriana é a mais perigosa. Se a pessoa que está apresentando os sintomas da meningite (causada por bactérias) não for levada rapidamente ao hospital, ela pode ir a óbito.


Como acontece a transmissão?

A transmissão da Meningite Viral pode acontecer por meio do contato com mãos, alimentos, água, superfícies ou objetos contaminados. Por exemplo: apertar a mão de uma pessoa infectada e, em seguida, encostar a mão nos olhos, boca ou nariz; ou ingerir algum alimento contaminado pelo vírus.

Outra maneira de se infectar é por meio do contato com fezes contaminadas (quando o indivíduo não higieniza as mãos corretamente após evacuar e toca em alguma superfície/algum alimento ou quando ingere água contaminada com fezes).


Quem corre mais risco de contrair a meningite viral?

Ainda que pessoas de qualquer faixa etária possam se contaminar com os vírus causadores da meningite viral, o risco é maior em crianças menores de 5 anos.

Prevenção contra Meningite Viral

Ainda não existe uma vacina específica que previne a Meningite Viral, especialmente as que são causadas pelos Enterovírus e pelo HSV. Mas as vacinas que protegem contra outras doenças virais podem prevenir a meningite causada pelos outros vírus. As principais vacinas são:


Vacina tríplice viral:

Protege contra as meningites causadas pelos vírus da Caxumba, Sarampo e Rubéola.

Também conhecida como “Triviral“, essa vacina é feita com vírus vivos, porém enfraquecidos e que são capazes de formar anticorpos vacinais gerando a proteção do Sarampo, Rubéola e da Caxumba.

No processo de fabricação da vacina, também são utilizados componentes da proteína do ovo da galinha. Uma das vacinas disponíveis nos postos de saúde apresenta a proteína do leite da vaca em sua fabricação. A aplicação é realizada por via subcutânea.

A Vacina Tríplice Viral é recomendada para crianças, adolescentes e adultos, sendo indicada como vacina de rotina em crianças a partir dos 12 meses. Em surtos podem ser usadas a partir de 6 meses. Idosos devem receber a vacina somente em caso de risco epidemiológico aumentado da doença, devendo ser prescrito por um médico.

As Sociedades Brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBim) recomendam, como rotina, que a primeira dose seja tomada aos 12 meses e a segunda dose entre 1 ano e 3 meses e 2 anos, junto à vacina contra Varicela.

A vacina triviral é contraindicada para gestantes, pessoas que tenham baixa imunidade devido a alguma doença ou algum medicamento, histórico de anafilaxia após a primeira dose ou a algum dos componentes.


131 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


icone_whats.png
bottom of page